sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

O JEITO CERTO PARA SER FELIZ - Por Marta Claus

 O JEITO CERTO PARA SER FELIZ
     Cada vez mais, nos dias de hoje, ouço em clínica ou nas aulas que ministro a seguinte frase: o que importa é ser feliz! Mas o que é a felicidade para cada um de nós? Para uns é ser algo, para outros é estar de certa forma, para outros é ter o que se deseja. enfim as opções para ser feliz são muitas. Mas existe um modo, um jeito certo para se ser feliz? 
     Na antiguidade os gregos a chamavam de eudaimonia, termo também utilizado para ética. Filósofos da atualidade preferem utilizar o termo prazer para emoções associadas a felicidade. E muitos deles elaboraram teorias e modos para atingirmos a felicidade. Já a psicologia moderna elaborou o The Oxford Happiness Questionnaire para medir o nível de felicidade das pessoas. Para tanto levam em conta fatores físico, psicológico, políticos, religiosos, estado civil, paternidade entre outros. 
     Mas, filosofias, psicologias e demais fatores e teorias a parte, como posso ser feliz? Depois de anos de clínica, visitas frequentes as singularidades constantes nas historicidades dos partilhantes percebo que cada pessoa tem um modo de se sentir e ser feliz. Mesmo que esta felicidade se encontre na doença, na pobreza, na crítica, no amor, na fé, na riqueza, na maledicência, no embate, no outro com quem se vive, no próprio eu...
     Não há uma receita pronta para a felicidade e cada um deve descobrir onde e como obter a sua. Tarefa nada fácil pois não estamos prontos para essa busca. Essa jornada requer atenção a nós mesmos e mais ainda no que está além de nós. Logo, não há um jeito certo para ser feliz, apenas indícios do que seja a felicidade, e isso de modo singular. 
     A mim me parece que a felicidade está no canto dos pássaros, na chuva que cai, no avião que atrasa, na gripe que dá dor no corpo, no sorriso de meu marido, na cerveja gelada que cai bem com o calor...e isso é assim para mim. E para você, como é o modo certo de ser feliz, já pensou nisso? Não? Ahhhhhh, não se preocupe, você pode ser feliz assim mesmo!!!!! 

                                                                                                                       Marta Claus
                                                                                                                     Filósofa Clínica