quinta-feira, 17 de outubro de 2013

SER TERAPEUTA - por Patrícia de Cássia Oliveira - Filósofa Clínica / JF




SER TERAPEUTA

Dra. Patrícia de Cássia Oliveira
Filósofa Clínica/ JF

   Mais que um cuidador é ser gente. Que pensa, sente e se descobre num universo em que a Essência sobressai a existência. No decorrer e o desenrolar da vida a caminhada nos mostra o quanto nossas dores existenciais,não são diferentes de nossos partilhantes(pacientes). Nossas angustias, frustrações, inseguranças, enfim!!! O que nos difere deles? Ferramentas as quais utilizamos em nosso dia-a-dia. Na tentativa do acerto,ao lidar com várias circunstâncias seja ela qual natureza for.
A Lapidação faz parte do processo de ser Terapeuta,uma vez que nos propomos a cuidar,com responsabilidade,comprometimento e afinco na profissão,junto aqueles que por alguma razão nos procuram.Tais requisitos não podem ser deixados de lado.O passar do tempo nos permite saborear os resultados obtidos e o aprendizado constante,com aquilo que por ventura não tenha funcionado bem. O maior desafio é sabermos lidar com os status,sucesso,vaidade... A meu ver, o reconhecimento vem através de cada um, sendo ajudado e demonstrando autonomia no processo autogênico! Quanto aos demais, são momentâneos e as vezes deixam marcas desagradáveis.
A Construção do Ser Terapeuta se dá de maneira constante, porém gradativa. Não é um processo acabado. E sim com principio, claro para aqueles que desejarem essa caminhada.Para alguns as vezes o processo é interrompido! Vivemos uma ginástica(se assim posso dizer) entre ajuda e aprendizado perante aqueles que nos procuram. Estes nos ensinam a verdadeira “essência”do cuidar. Se não o fazemos, perdemos a característica principal do Ser Terapeuta e consequentemente cuidador. A vida a cada instante nos remete aos papéis aos quais usufruímos,pais,filhos... e o de profissional deverá ser sempre cuidado!

Dessa maneira complementamos um ciclo, que jamais se fechará..O de se cuidar e CUIDAR!!!!!